Caiado: “Estado tem de beneficiar a população e não ser ambiente de negociata e enriquecimento ilícito”

Em sabatina à imprensa, governador detalhou os principais benefícios levados para a população durante seu mandato; também foi questionado sobre segurança pública e transporte público na região Metropolitana


Fotos: Pedro Oliveira.

Para o governador e candidato à reeleição Ronaldo Caiado (União Brasil), as ações do governo devem se converter em benefícios diretos à população e que esta é a principal marca de seus 3 anos e 8 meses à frente do governo de Goiás. "O Estado não é feito para corrupção, negociata, desvio de função e enriquecimento ilícito. O Estado é feito para transferir recursos para população e melhorar a vida dela", disse.

Entre os exemplos de investimentos que impactam diretamente a vida da população de Goiás, Caiado citou o programa Mães de Goiás, que concede R$ 250 a mulheres com filhos entre 0 e 6 anos; os avanços na educação, como reforma de escolas, distribuição de uniformes, chromebooks, merenda escolar de qualidade e óculos com tecnologia de ponta para crianças cegas, além de uma bolsa mensal de R$ 110 com foco em evitar a evasão escolar. "Eu conheço a realidade de Goiás e sei onde devemos trabalhar", afirmou.

Em sabatina na tarde desta quarta-feira (31/08), a jornalistas do portal Mais Goiás e de veículos parceiros, o governador ressaltou o papel da imprensa para um debate democrático e agradeceu a oportunidade de mostrar como vem administrando o Estado.

"Por onde passo, estudantes, pais e professores sentem a minha dedicação, meu compromisso", contou o governador. À frente nas pesquisas de intenção de votos, Caiado fala que segue a campanha pela reeleição sem euforia e com os pés no chão. "Já venci e perdi eleições, não declaro nenhuma situação que não seja após o dia 2 de outubro, após a apuração nas urnas", afirmou.

Segurança pública
Caiado falou de um marco na segurança pública do Estado: "Recebi o último relatório agora, chegando aqui. Já estamos há 15 dias sem nenhum homicídio em Goiânia", anunciou ao destacar os avanços na área. Em seu plano de governo para um eventual segundo mandato, o candidato cita que está previsto a construção de novos presídios, com instalação de câmeras nas celas e reforço do policiamento nas divisas do Estado. "Não podemos deixar Goiás voltar a ficar ajoelhado diante do narcotráfico. Enquanto for governador do Estado, bandido aqui não prospera", reiterou.

Ainda sobre os avanços na área de segurança pública, o governador enumerou a extinção da terceira classe, com policiais que ganhavam somente R$ 1.500 por mês e, hoje, passaram a receber o mínimo de R$ 7 mil, aumento da remuneração por plantões e o reajuste da data-base do funcionalismo público estadual, que incluiu também as forças de segurança.

"Por que a polícia é tão eficiente? Porque deixamos a polícia fazer a segurança. Eles são responsáveis por isso. Não inibo a polícia, deixo eles trabalharem. É por isso que a segurança de Goiás é a melhor do País, com o menor número de profissionais", resumiu Caiado.

Transporte Coletivo
Caiado ressaltou o desafio de melhorar o transporte público em toda a região Metropolitana, principal demanda da população. "Fizemos o Cartão Único e o Bilhete do Trabalhador e vamos implantar a maior frota da América Latina, com o que há de mais moderno em tecnologia", disse.

Segundo o gestor, a implantação dos novos ônibus foi adiada por questões políticas, uma vez que o Governo e Prefeitura de Goiânia vêm dando toda a transparência ao processo. "Quem sofre é o passageiro, infelizmente. Estão prejudicando milhares de pessoas", lamentou o governador, ao falar sobre a demora de órgãos de controle de darem andamento ao processo.

Caiado destacou a ação do governo do Estado para manter o valor da tarifa do transporte coletivo. "Desde que entrei, a passagem não aumentou, apesar da inflação". O governador contou que havia firmado parceria com o ex-prefeito Iris Rezende e, agora, continua em parceria com o prefeito Rogério Cruz e os demais prefeitos da região Metropolitana. Ele explicou que Governo e prefeituras vêm absorvendo os aumentos dos custos do transporte com subsídios para que o valor não seja repassado à população.

Enel
Para 2023, um dos focos do governo é resolver o gargalo da energia elétrica. "Goiás só não lidera oferta de mão de obra e crescimento industrial por conta da energia. Todo lugar tem um gerador. Essa é a realidade". O governador anunciou que a concessionária de energia elétrica que atende o Estado deixará Goiás nos próximos meses por não ter cumprido as metas mínimas de investimentos exigidas em contrato. "Vamos tirar a Enel, isso é ponto pacífico", disse Caiado.

Ao comentar as dificuldades vivenciadas pela falta de energia elétrica, Caiado relembrou que denunciou, à época, como a Celg havia tinha sido negociada, com prejuízo acumulado de R$ 12 bilhões aos cofres do Estado. "A parte que coube a Goiás na venda da Celg, de R$ 1,1 bilhão, evaporou na tentativa de me derrotar em 2018", afirmou.

Edilayne Martins

"Não viva para que a sua presença seja notada, mas para que a sua falta seja sentida." (Bob Marley)

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

Destaques

6/trending/recent